quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Conclusão

A minhoca (um anelídeo) é de suma importância, pois por ser detritívora, alimenta-se de detritos ou restos orgânicos de vegetais e animais. Estes, após serem "engolidos", são encaminhados para moela, onde serão triturados e levados ao intestino para digestão.

Eliminadas através do ânus, as fezes da minhoca são ricas em restos alimentares que sofrem a ação de bactérias decompositoras, fertilizando assim o solo. O húmus (matéria orgânica em decomposição) é rico em nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), que são macro-nutrientes necessários às plantas em geral, dentre outros componentes.

Além disto, ao escavar o solo, as minhocas formam túneis, favorecendo a aeração das raízes das plantas e a penetração das águas das chuvas.

Dada a desproporção, pode parecer brincadeira, acredita-se que as minhocas podem remover cerca de cinco toneladas de terra durante um ano. Estima-se também que, a cada metro quadrado de solo, existam 8.000 minhocas. Em solos muito férteis, elas podem chegar a 100.000 por metro quadrado.

Para a felicidade geral da agricultura, as minhocas se reproduzem rapidamente: uma única minhoca põe de 12 a 16 milhões de ovos ao longo de sua vida que gira em torno de 16 anos. Sua maturidade sexual é atingida entre os 60 e 90 dias de idade. E sua reprodução pode ocorrer ao longo do ano, principalmente nas épocas de clima quente e úmido.

Outros anelídeos

Há também os oligoquetos aquáticos, do gênero Tubifex. Tratam-se de pequenas minhocas avermelhadas que vivem no interior de rios e lagos. Sua proliferação permite identificar águas poluídas por detritos orgânicos.

Também encontramos no filo dos anelídeos outras classes, são elas:

  • os poliquetos, que, em sua grande maioria, são animais marinhos; não são muito populares, nem conhecidos, pois vivem enterrados no fundo do mar. Uma curiosidade: uma espécie de poliqueto, o Eunice viridis, conhecido como palolo, é um prato requintado da culinária das ilhas de Samoa e Fiji, no oceano Pacífico;
  • os aquetos ou hirudíneos. Um exemplar desta classe é a sanguessuga (Hirudo medicinalis).
Em séculos passados, elas eram utilizadas amplamente na medicina, para extrair o sangue das pessoas e tratar de problemas como a pressão alta, por exemplo. O paciente melhorava e não sentia nenhuma dor com este processo, pois a sanguessuga libera uma substância anestésica e anticoagulante, a hirudina.

Vale lembrar que, atualmente, as sanguessugas voltaram a ser usadas em alguns países da Europa, inclusive por membros da família imperial britânica, que, por sua adesão às causas ecológicas, aceita esse tipo de medicamento natural.

Portanto, se encontrar um anelídeo em seu caminho, lembre-se de todas as suas utilidades nem pense em exterminá-lo.
video
video

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Conceitos Básicos dos Anelídeos.

Anelídeos são animais pluricelulares de corpo mais ou menos cilíndrico e alongado que se apresenta, ao longo de seu eixo maior, que é subdividido, tanto externa como internamente, em anéis ou metâmeros. Os anelídeos são, desta forma, vermes mais evoluídos que os platelmintos e nematelmintos, que são ametaméricos. Muito comuns nas hortas e terrenos úmidos, as minhocas estão entre os mais conhecidos anelídeos. Os anelídeos constituem um filo do reino animal que compreende os vermes mais evoluídos. Seu nome deriva do fato de ter o corpo dividido em segmentos ou "anéis", peculiaridade que o aproxima dos artrópodes, também segmentados. As semelhanças entre anelídeos e artrópodes levaram alguns autores a reunir os dois grupos em um único filo, o dos articulados. Existem representantes desses filos que são muito pequenos e outros que podem atingir até 16 metros, como a lula-gigante, que é bastante rara. Outras e outros animais de corpo mole como caramujos, polvos e lulas são classificados como moluscos
Classificação dos Anelídeosreino: Animália ou Metazoa sub-reino: Eumetazoa filo: Annelida
Classes dos Anelídeos1. Oligochaeta 2. Polichaeta 3. Hirudinea

Representantes dos Anelídeos
Oligoquetos: Apresentam poucas cerdas, não têm parapódios nem cabeça diferenciada. São vulgarmente conhecidos como minhocas. Pheritima hawaiana (minhoca brasileira); Lumbricus terrestres (minhoca européia) Poliquetos: Apresentam, em cada segmento do corpo, muitas cerda s implantadas em expansões laterais denominadas parapódios. Neles observa-se cabeça bem diferenciada com tentáculos. Nereis virens Hirudíneos: São desprovidos de cerdas, parapórdios e cabeça diferenciada. Possuem ventosas para fixação, locomoção e ingestão de alimento. Hirudo medicinalis


Habitat e Modo de Vida
A maioria das minhocas (oligoquetos) vive em terra úmida e algumas são dulcícolas. Os poliquetos são vermes marinhos, vivendo enterrados na areia das praias. Os hirudíneos são, principalmente, dulcícolas, existindo espécies marinhas e aquelas que habitam terra úmida. Podem ser de vida livre ou simbiontes (alguns são ectoparasitas hematófagos)

Sustentação e Locomoção
O esqueleto está ausente. A sustentação do corpo é dada pelo celoma, que atua como esqueleto hidrostático. Apresentam um sistema muscular representado pelo sistema músculo-dermático, constituído por duas camadas de fibras musculares: uma externa circular e outra interna longitudinal. A locomoção é feita por contrações rítmicas da musculatura, auxiliada pelo esqueleto hidrostático. Nos oligoquetos, na face ventral do corpo, estão presentes estruturas quitinosas que auxiliam na locomoção – as cerdas. Nos poliquetos as cerdas se inserem em expansões laterais, presentes um par delas em cada anel, denominadas parapódios, que também auxiliam na locomoção. Os hirudíneos são desprovidos de cerdas e parapódios, porém apresentam na face ventral do corpo um par de ventosas que utilizam para realizar movimentos de “mede palmos”.


Aparelho Digestivo

Possuem aparelho digestivo com tubo digestivo completo. A digestão é extracelular. As minhocas nutrem-se de vegetais em decomposição presentes no solo. O intestino apresenta projeções cegas (cecos intestinais) e uma prega em seu interior (tiflossole) que aumentam a superfície de absorção do alimento. Os poliquetos são carnívoros e possuem mandíbulas para captura de alimento. As sanguessugas hematófagas, ectoparasitas de vertebrados.


Aprelho respiratório e Respiração
Os anelídeos são desprovidos de ap. respiratório. A respiração é cutânea. Nos poliquetos há uma intensa vascularização no interior dos parapódios. A epiderme delgada e muito úmida facilita as trocas gasosas nesta região do corpo que, assim, funcionam como “brânquias primitivas”.



Aparelho Excretor e Excreção

Está formado por um par de nefrídeos em cada anel do corpo. Estes retiram os excretas da cavidade celomática e os eliminam para o meio externo através de poros excretores localizados na superfície lateral do corpo.